Vereadores e instituições repudiam ato de transfobia

por Assessoria de Comunicação publicado 19/04/2017 12h25, última modificação 19/04/2017 14h36
19/04/2017

Os vereadores usaram a Tribuna Livre, durante a reunião Ordinária da terça-feira (18) para manifestar solidariedade à Vereadora Brenda Santunioni (PP), cuja residência foi alvo de vandalismo na semana passada. Na quinta-feira (13), palavras e símbolos hostis e de cunho transfóbico foram pichados no muro da casa da parlamentar, no bairro Nova Viçosa. Órgãos públicos e outras entidades enviaram notas de repúdio ao ato, e apoio à vereadora, todas lidas em Plenário. Brenda registrou boletim de ocorrência na Delegacia da Polícia Civil de Viçosa, que vai abrir investigação para apurar o caso.

Para Brenda, as pichações demonstram intenções mais "obscuras" contra a atuação da vereadora na política e na militância. “Assim que [LGBTTs, mulheres e negros] começaram a ocupar os espaços de direito na sociedade, geraram incômodo, e os incomodados não querem que tenhamos os mesmos direitos que todos”, declarou.

Entre as falas dos vereadores, demonstrações de suporte à Brenda e à identificação dos autores. Sávio José (PT) reafirmou o compromisso com os Direitos Humanos: “sigo sendo defensor da causa e apoiador de todas as pessoas de Viçosa”. O Vereador Arlindo Antônio Carneiro (Montanha) (PSDB) classificou o episódio como “triste e vergonhoso”. Geraldo Luís Andrade (Geraldão) (PTB) afirmou que o ocorrido envolve muitas questões graves, como “invasão da privacidade e da propriedade privada, além é claro da homofobia”.

A Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania, por meio de Nota Pública assinada pelo Coordenador Especial de Políticas de Diversidade Sexual, Douglas Estevão de Miranda, manifestou preocupação com o fato e se colocou à disposição da Câmara Municipal para monitorar e atuar na investigação do caso. Em carta pública, a ONG Movimento Diversidade Viçosa, e sua Presidente, Scarlet Lourenço, demonstram indignação com o ocorrido que “incita o ódio e o preconceito”. A Associação dos Artesãos de Viçosa (Ativarte) enviou correspondência assinada pela Presidente, Tania Mara de São José e demais membros, em que pede às autoridades que tomem as providências necessárias para que atos similares não voltem a acontecer no município. Moção de Repúdio também foi encaminhada pela PraxCis – Empresa Júnior de Ciências Sociais da UFV. No documento, o Gerente de Comunicação, João Pedro Paixão, afirma que a situação é inadmissível e que Viçosa deve ser “exemplo de respeito às individualidades e promotora da liberdade”.

Brenda agradeceu o apoio da Casa Legislativa e demais instituições, e salientou que não vai retroceder na defesa de suas ideias e lutas: “Viçosa é uma cidade de pessoas de bem, e esse é uma problema que demanda pessoas como eu e todos vocês para defender”, finalizou.

Texto: Cleomar Marin

Revisão e foto: Mônica Bernardi

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.