Câmara realiza Plenária Municipal do Parlamento Jovem 2017

por Assessoria de Comunicação publicado 03/07/2017 14h35, última modificação 03/07/2017 14h44
03/07/2017

Aconteceu na quarta-feira (28), na Câmara Municipal, a Plenária Municipal do Projeto Parlamento Jovem 2017, que tem como tema a “Educação Política nas Escolas”. Estudantes do ensino médio dos Colégios Anglo e Carmo, e das Escolas Estaduais José Lourenço de Freitas, Dr. Raimundo Alves Torres (ESEDRAT) e Raul de Leoni participaram dos trabalhos da Plenária. Estiveram presentes na abertura do evento o Vice-Presidente da Casa Legislativa, Vereador Helder Evangelista (Cherinho) (PTC); os Coordenadores Geral e Técnico da Escola do Legislativo, Vereadora Brenda Santunioni (PP) e Vereador Geraldo Luís Andrade (Geraldão) (PTB); e o Vice-Prefeito de Viçosa, Arnaldo Andrade (PSB).

Em sua fala de abertura, o Vereador Helder ressaltou a importância das parcerias firmadas para o sucesso do Parlamento Jovem, e parabenizou os alunos pelo envolvimento. “A seriedade e dedicação dos coordenadores, monitores, parceiros e estudantes são a essência do Projeto”, disse. Para a Vereadora Brenda, a adesão das escolas demonstra a preocupação com a inclusão da Educação Política na formação dos jovens: “é gratificante ver uma Plenária cheia, com tantas pessoas dispostas a contribuir para uma cidade, um Estado e um país melhores”.

Dirigida pelos alunos do Parlamento Jovem 2017, a Plenária discutiu os subtemas do Projeto: Educação Política e Currículo; interações entre a Escola e Sociedade na formação Política dos Jovens; e Educação Política para uma Gestão Democrática e Participativa nas escolas.

Na segunda-feira, dia 26, foram realizados os Grupos de Trabalho (GTs) que definiram as propostas a serem discutidas e votadas na Plenária. Seis propostas foram aprovadas e seguem, agora, para a Etapa Regional.

Também estiveram presentes na Plenária os Vereadores Antônio Elias Cardoso (Tuim) (PTB), Raimundo Guimarães (PSDB) e Sérgio Aloíso da Silva (Sérgio Construtor) (PSDC). O Projeto Parlamento Jovem é uma iniciativa da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), por intermédio da Escola do Legislativo, e da PUC-Minas, em parceria com 65 Câmaras Municipais divididas em polos regionais. Viçosa é pelo segundo ano consecutivo sede do Polo Zona da Mata II, que inclui Paula Cândido, Ponte Nova, Nossa Senhora dos Remédios, Ubá e Visconde do Rio Branco.

Propostas Aprovadas

Dentro de cada subtema foram retiradas duas propostas que seguem para a Etapa Regional, sendo elas:

EDUCAÇÃO POLÍTICA E CURRÍCULO

1.Assegurar a obrigatoriedade de infraestrutura adequada nas escolas para pessoas com deficiências visuais e auditivas, além de materiais didáticos específicos para a sua inclusão e preparação pedagógica para os professores, a fim de que possam realizar aulas com ensino de linguagem de sinais e braile.

2.Inserir debates políticos periódicos e interativos nas aulas de Sociologia, Filosofia e História, envolvendo temas atuais e a democracia, a fim de aguçar o senso crítico dos jovens e contribuir para a formação cidadã dos mesmos, respeitando as grades curriculares e projetos pedagógicos de cada escola, levando em consideração o contexto social em que estão inseridas.

INTERAÇÕES ENTRE ESCOLA E SOCIEDADE NA FORMAÇÃO POLÍTICA DOS JOVENS

1.Incentivar parcerias com psicólogos e psicopedagogos nas instituições de ensino a fim de auxiliar os alunos com questões pessoais, contribuindo, assim, para um melhor rendimento escolar destes até o final do ensino médio. Aos demais, o número de profissionais será relativo à demanda.

2.Institucionalizar as parcerias entre centros educacionais e produtores rurais regionais de forma a criar hortas voltadas para a produção de frutas e hortaliças, com funções de aulas práticas nas respectivas instituições de ensino, em que os produtos seriam divididos entre a comunidade escolar e o produtor rural, sendo 60% para escola e 40% aos produtores.

EDUCAÇÃO POLÍTICA PARA UMA GESTÃO DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA NAS ESCOLAS

1.Tornar obrigatória a formação de órgãos de representatividade estudantil, grupos consultivos formados por representantes, tanto do ensino fundamental II (6º ao 9º ano) quanto do médio, sendo esses escolhidos por meio de eleições diretas visando efetivar a representatividade e requerimentos dos alunos.

2.Realizar, com frequência decidida pela instituição, festivais multiculturais executados pelos alunos e professores nas escolas como atividades extracurriculares com o intuito de estimular a participação ativa dos jovens e uma maior integração entre eles, incentivando o pensamento cultural mais amplo.

 

Texto: Cleomar Marin

Revisão: Mônica Bernardi

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.