Reformas do Governo Federal são discutidas na Tribuna

por Assessoria de Comunicação publicado 06/12/2017 12h03, última modificação 06/12/2017 12h03
06/12/2017

A reunião Ordinária da terça-feira (05) foi marcada por discussões de interesse nacional. Paulo Gustavo Grossi usou a Tribuna Livre para pedir que vereadores e cidadãos pressionem os deputados mineiros a votar contra a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição nº 287/2016 (reforma da Previdência). Beatriz Santana falou sobre a Proposta de Emenda à Constituição nº 055/2016 (teto dos gastos públicos), promulgada no final de 2016, e seu impacto no Sistema Único de Saúde (SUS). Os parlamentares comentaram os temas durante a Palavra Livre.

Segundo Paulo Grossi, a terça-feira foi um dia de luta nacional em prol da compreensão das reformas trabalhista e da Previdência, “um conjunto de retirada de direitos do trabalhador”, disse. De acordo com o cidadão, houve investimento de quase R$ 200 milhões em campanhas de divulgação da proposta que altera as regras de aposentadoria: “o governo federal tem investido muito dinheiro na propaganda dessa reforma. Se fosse realmente boa, não precisaria gastar tanto em um momento de dificuldade para o país”. Ao final de sua fala, Paulo Grossi distribuiu aos vereadores um material com o contato dos deputados mineiros para que pressionem contra a aprovação da reforma. São necessários 308 votos favoráveis para que a PEC 287 seja aprovada na Câmara dos Deputados. Representando o Movimento Frente Pela Saúde, Beatriz Santana falou sobre as perdas de investimento na saúde pública, resultantes da PEC 55. Para Beatriz, com o congelamento dos gastos, “toda a estrutura do SUS, ainda insuficiente, irá piorar de modo drástico”.

Os vereadores fizeram coro no que se refere às eleições de 2018: a população deve ficar atenta às votações de seus possíveis candidatos no Congresso. O Vereador Edenilson José de Oliveira (PMDB) afirmou ser “vergonhosa essa manipulação dos nossos deputados. Temos que continuar nessa luta para não perder ainda mais direitos para esse desgoverno”. Geraldo Luís Andrade (Geraldão) (PTB) destacou a importância do SUS para a população e também se colocou contra a reforma da Previdência. O Vice-Presidente da Mesa Diretora, Vereador Helder Evangelista (Cherinho) (PTC), questionou o alto investimento em propaganda: “como um dos vereadores que lida diariamente com a população carente, fico indignado. Esse dinheiro deveria ir para a saúde. A situação é revoltante”, disse. Sávio José (PT) apresentou as dívidas de grandes empresas com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que somam R$ 426,07 bilhões: “eles vão cobrar a dívida de quem? Do trabalhador que recebe salário mínimo”.

O Presidente da Casa Legislativa, Vereador Carlitos Alves dos Santos, demonstrou indignação na Tribuna. “Nós, cidadãos, estamos pagando impostos para manter no poder gestores trabalhando em causa própria”, disse. Carlitos também pediu cuidado nas próximas eleições, e afirmou que o povo está ciente do papel do voto.

Texto: Cleomar Marin

Foto: Sávio Monteiro

Revisão: Mônica Bernardi

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.