CEMIG fala na Câmara sobre subestação de Viçosa

por Assessoria de Comunicação publicado 18/04/2018 17h33, última modificação 18/04/2018 17h33

Por intermédio do Requerimento nº 013/2018, de autoria do Presidente da Casa Legislativa, Vereador Carlitos Alves dos Santos (Meio Kilo) (PSDB), representantes da CEMIG (Companhia Elétrica de Minas Gerais) participaram da reunião Ordinária da terça-feira (17). O Gerente de Relacionamento com Clientes Especiais do Poder Público, Ricardo Luiz Sampaio, e o Supervisor de Serviços de Campo, José Márcio Osório, foram convidados para esclarecer questionamentos dos vereadores sobre a subestação de energia instalada no Município.

A principal preocupação do Presidente da Câmara é com a manutenção dos transformadores e com a capacidade da subestação em atender a demanda de crescimento da cidade. De acordo com o gerente da CEMIG, ainda há folga para a alimentação com as instalações atuais, e existe o estudo da Companhia para ampliação da subestação I e construção de uma nova, que vai dobrar a capacidade de fornecimento para Viçosa. “Hoje qualquer empresa tem condições de se instalar na cidade. Com a nova subestação, em até dois anos, teremos folga ainda maior”, disse Ricardo Luiz.

Os representantes da Companhia apresentaram um quadro com a capacidade de cada um dos cinco alimentadores que fornecem energia para Viçosa. De acordo com as informações, as linhas VCS 06, 11, 12, 13 e 14 operam atualmente em 45%, 57%, 85%, 63% e 66% de suas capacidades de carregamento. “Essa preocupação do Presidente não é necessária, os alimentadores estão com carregamento seguro. Quanto mais investimento melhor, mas temos essa garantia com relação à nossa subestação”, disse.

Os prazos para a execução de serviços solicitados à CEMIG, como ligação de rede em novas obras, e a iluminação pública também foram pontos de destaque durante a reunião. Desde 2015, a responsabilidade pela iluminação pública é das prefeituras, mas Viçosa tem uma liminar judicial que mantém o serviço como atividade da CEMIG. Para o Supervisor José Márcio, isso é uma desvantagem para o Município. “A prefeitura economiza por não participar do consórcio (CIMVALPI - Consórcio Intermunicipal Multisetorial do Vale do Piranga), mas tem que gastar para terceirizar os serviços. Todas as cidades que estão no consórcio estão muito bem atendidas”, disse.

Indicações

Proposições dos vereadores ao Executivo solicitando manutenção na rede elétrica são comuns na Casa Legislativa. Só na reunião Ordinária da terça-feira (17), seis indicações do tipo foram apresentadas. Os Vereadores Carlitos, Sérgio Construtor (PSDC) e Paulo Sérgio Toti (PRTB) pediram trocas de lâmpadas queimadas nos bairros Ramos e Santo Antônio e nas comunidades rurais do Zig-Zag, Córrego São João e Santiago.

Texto: Cleomar Marin

Revisão e foto: Mônica Bernardi

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.