Cidadãos manifestam contra mudanças no trânsito

por Assessoria de Comunicação publicado 25/04/2018 13h51, última modificação 25/04/2018 13h51

Moradores e comerciantes da Rua dos Passos, Dr. Britto e Tenente Kummel voltaram a se manifestar na Câmara sobre os impactos das mudanças no trânsito da região. Representando uma comissão formada por esses cidadãos, Sérgio Augusto Marota usou a tribuna durante a reunião Ordinária da terça-feira (24), onde falou sobre a situação e solicitou uma reunião com o Executivo Municipal para reforçar os pedidos do grupo: mais áreas de estacionamento, permissão para parada de dez minutos em frente às lojas e locais para carga e descarga de mercadorias.

“Muitos criticam nosso movimento, falam que o trânsito melhorou, mas não vivem o que vivemos lá. O comércio caiu, no mínimo, 50%. Considero uma crueldade o que a Prefeitura fez com a gente”, desabafou Sérgio. Com apoio dos demais moradores, que levaram faixas e cartazes ao Plenário, o comerciante falou sobre as dificuldades financeiras causadas pela falta de estacionamento próximo ao comércio. Segundo ele, muitos empresários já estão diminuindo o quadro de funcionários e, caso o projeto da prefeitura não contemple as demandas apresentadas pelo grupo, alguns fecharão as portas. Em sua farmácia, Sérgio reduzirá o número de trabalhadores de nove para sete: “Serão duas famílias a menos”, lamentou.

O Líder do Executivo na Câmara, Vereador Arlindo Antônio (Montanha) (PSDB), que também preside a Comissão de Trânsito e Mobilidade Urbana, usou a tribuna para esclarecer o posicionamento da administração municipal. De acordo com Montanha, o projeto previsto para a Rua dos Passos ainda não foi executado, apenas a proibição do estacionamento foi feita. “Vai ter parada de dez minutos, carga e descarga e mudanças em algumas vias. Peço que aguardem as placas do projeto e, se não contemplados, essa Casa está aberta para chegarmos a um consenso”, garantiu o parlamentar.

Sobre a não conclusão do projeto, o líder explicou que houve atraso no processo de licitação devido ao não atendimento às especificações técnicas das balizas (hastes que sustentam as placas). Em fevereiro desse ano, durante participação da Diretoria de Trânsito (DIRETRAN) na reunião Ordinária, o Diretor Lidson Lehner havia apresentado a mesma justificativa. Para o Presidente da Câmara, Vereador Carlitos Alves dos Santos (Meio Kilo) (PSDB), já se passou muito tempo desde que as medidas para dar mais fluidez à Rua dos Passos, com a interdição da Avenida Castelo Branco, foram tomadas. “O trânsito na Castelo Branco está liberado desde dezembro. As mesmas placas que colocaram na Rua dos Passos em novembro estão lá até hoje, estão sendo prejudicados há mais de cinco meses”, enfatizou.

Para alguns vereadores, o caso é de falta de diálogo por parte da administração pública com os residentes e trabalhadores da região afetada pelas alterações. “Todos nós queremos que o trânsito flua e uma mobilidade urbana melhor, mas isso não pode determinar as atividades exercidas há anos”, destacou Sávio José (PT), que também questionou a demora na implantação do projeto com as mudanças definitivas: “justificar toda essa situação por falta de parafuso? A cada dia que passa os senhores estão tendo prejuízos, é falta de atitude”. Brenda Santunioni (Progressistas) solicitou ao líder do Prefeito que agende uma reunião entre os moradores e com Ângelo Chequer (PSDB) para apresentar o projeto. “Não podemos admitir que a cidade feche um posto de trabalho por causa da inoperância do Poder Público. Que agende e mostre esse projeto, mas tem que ser com o Chefe do Executivo, não com terceiros”, disse.

 

Texto: Cleomar Marin

Revisão e foto: Mônica Bernardi

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.