Cidadã convida vereadores e população para o Congresso do Povo

por Assessoria de Comunicação publicado 09/05/2018 11h44, última modificação 09/05/2018 11h44

A militante Bruna Mattos usou a Tribuna Livre durante a reunião Ordinária da terça-feira (08) para divulgar o Congresso do Povo, evento realizado em todo o País pelas organizações ligadas à Frente Brasil Popular, que vai acontecer em Viçosa no próximo dia 19. Durante sua participação, Bruna falou sobre o contexto do Congresso e sua importância. A etapa municipal do evento vai acontecer no sábado, entre as 8h e 18h na escola Ministro Edmundo Lins, no centro.

De acordo com Bruna Mattos, o Congresso do Povo se baseia nos eixos da participação e da representação. “Espaço para conversarmos com o povo de igual para igual, pois é isso que nós somos. Um momento para olharmos para o Município e enxergar o que faz com que a gente não tenha acesso a serviços básicos”, disse. Segundo a militante, entre as discussões do Congresso estará a relação do processo de impeachment da ex-Presidente Dilma Rousseff com o dia-a-dia dos brasileiros: “como isso tudo se relaciona com o projeto de País que nós queremos, com o autoritarismo da nossa sociedade”.

Ao citar a impunidade de grandes empresas em troca de contribuição para políticos, Bruna afirmou que construtoras viçosenses “são responsáveis por boa parte do financiamento de campanhas dos vereadores e do nosso prefeito”. A fala não repercutiu bem entre os parlamentares, uma vez que o financiamento privado de campanha é proibido desde 2015.

O Secretário da Mesa Diretora, Vereador Edenilson Oliveira (MDB), manifestou apoio ao evento divulgado por Bruna e à fala contra corrupção, mas se queixou sobre a acusação de financiamento por empresas: “tenho a maior tranquilidade em dizer que isso não serve para a minha pessoa. Nunca tive a minha campanha financiada por ninguém”, declarou. Para o Líder do Executivo na Câmara, Vereador Arlindo Carneiro (Montanha) (PSDB), é preciso provar a acusação feita na tribuna.

O Presidente da Casa Legislativa, Vereador Carlitos Alves dos Santos (Meio Kilo) (PSDB), em seu uso de tribuna, solicitou que a cidadã apresente na Câmara até a próxima terça-feira (15) documentos que comprovem a acusação. “O que você falou aqui é muito injusto. Se provado, todos nós perdemos o mandato”, afirmou Meio Kilo. O Presidente disse ainda que, caso a cidadã não apresente a documentação, a Casa Legislativa tomará medidas para retratação: “me senti ofendido. Se não trouxer os documentos, faço questão de que a Casa entre com processo contra a sua pessoa”.

O Vereador Sávio José (PT) reforçou o convite para o Congresso do Povo. “a ideia é que se todos nós reclamamos que o Congresso Nacional não nos representa, vamos formar um congresso popular que represente todos os anseios da nossa sociedade”.

Texto: Cleomar Marin

Revisão e foto: Mônica Bernardi

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.