Vereadores e cidadão falam sobre paralisação dos caminhoneiros

por Assessoria de Comunicação publicado 30/05/2018 16h17, última modificação 30/05/2018 16h17

O desabastecimento de combustível em Viçosa foi tema de discussão da Câmara Municipal durante a reunião Ordinária da terça-feira (29). Evandro Paixão ocupou a Tribuna Livre para falar sobre o impacto da crise no transporte e na oferta de produtos nos mercados. No início da reunião, foram lidos ofícios do PROCON de Viçosa, que encaminhou à Câmara Municipal cópias de correspondências enviadas aos postos e distribuidoras de gás de cozinha da cidade. A recomendação feita pelo órgão aos comerciantes é de que seja mantida a venda com precificação justa e não excessiva.

Evandro Paixão disse que o Município deve adotar medidas para evitar que outras crises como a atual, que já dura mais de uma semana, causem tanto impacto na vida dos cidadãos. “Essa crise mostra o quanto somos dependentes. Devemos dar importância ímpar ao Plano de Mobilidade Urbana e ao Plano Diretor. Acredito muito que as instituições presentes no Município devem viabilizar a entrada de sistemas alternativos, tais como Uber e Mototáxi”, disse.

Para o Vereador Ronildo Antônio Ferreira (DJ Rony) (PSC) a crise é resultado do processo de impeachment da ex-Presidente Dilma Rousseff. “Não é a greve dos caminhoneiros que está fazendo faltar medicamentos, já está faltando há muito tempo”, afirmou. Segundo o parlamentar, o governo do Presidente Michel Temer é responsável pela situação atual do País. Sérgio Aloíso (Sérgio Construtor) (PSDC), também manifestou apoio aos caminhoneiros: “a luta dos caminhoneiros é por toda a população, por um País melhor”.

O Vereador Sávio José (PT) se colocou a favor dos caminhoneiros, mas fez ressalvas a alguns aspectos do movimento, como a suspeita de locaute (quando os empresários do setor se recusam a ceder aos caminhoneiros os instrumentos para que eles desenvolvam seu trabalho, impedindo-os de exercer a atividade) e o discurso sobre os impostos. “Uma das reivindicações dos caminhoneiros é zerar o PIS/Cofins, que financia a nossa previdência. O que está errado é a política de preços criminosa do senhor Pedro Parente, Presidente da Petrobras, e do senhor Michel Temer”, salientou.

Para minimizar os impactos para os cidadãos, o PROCON comunicou à Casa Legislativa que enviou ofícios aos comerciantes de combustíveis e de gás de cozinha. Nos documentos, a Diretora Nazildes de Almeida informa que não há “reais motivos para eventuais aumentos”, e que caso seja verificada prática irregular, o órgão adotará as medias necessárias. No início da reunião Ordinária o Presidente da Casa Legislativa, Vereador Carlitos Alves dos Santos (Meio Kilo) (PSDB), solicitou que fosse executado o hino nacional. “Em apoio ao movimento dos caminhoneiros e como protesto contra o atual Governo do Presidente Michel Temer”, disse.

Texto: Cleomar Marin

Revisão e foto: Mônica Bernardi

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.