Vereadores repercutem absolvição do Prefeito e Vice

por Assessoria de Comunicação publicado 04/07/2018 11h34, última modificação 04/07/2018 11h34

Durante a reunião Ordinária da terça-feira (03) os vereadores falaram sobre o arquivamento do processo de cassação do Prefeito Ângelo Chequer (PSDB) e do Vice-Prefeito Arnaldo Andrade (PSB), decidido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) na quinta-feira (28), em Belo Horizonte. Os parlamentares parabenizaram os líderes do Executivo viçosense, mas cobraram mudanças na administração municipal.

A chapa eleita em 2016 havia sido cassada pela Justiça Eleitoral de Viçosa em outubro do ano passado, sob alegação de abuso de poder político e econômico. Ângelo e Arnaldo recorreram da decisão e o processo foi revertido por unanimidade (seis votos) pelo TRE-MG.

O primeiro a levar o assunto para a tribuna da Câmara foi o Líder do Prefeito na Casa Legislativa, Vereador Arlindo Antônio Carneiro (Montanha) (PSDB). Montanha comemorou a reforma da sentença e disse que o Município só tem a ganhar com o fim das incertezas: “é preciso ter responsabilidade com os mais de 23 mil votos recebidos”, completou. A Vereadora Brenda Santunioni (Progressistas) também congratulou o Executivo, mas destacou a importância de uma renovação na administração municipal, principalmente nos cargos de confiança do “primeiro e segundo escalão”.

O posicionamento de Brenda foi defendido por outros vereadores. Edenilson José de Oliveira (MDB) afirmou que “há muito amadorismo” e que a cidade precisa de “boa gestão e de um prefeito mais atuante”. Paulo Sérgio (Toti) (PRTB) também criticou as secretaria municipais: “quem não quer trabalhar tem que ser mandado pra casa”, e pediu uma “mudança radical na Diretran (Diretoria de Trânsito)”. O gerenciamento do trânsito pela Diretran em Viçosa foi alvo de outras manifestações, como a do Vereador Ronildo Antônio Ferreira (DJ Rony) (PSC), que afirmou que a pasta “não funciona”.

Para o Vice-Presidente da Casa Legislativa, Vereador Helder Evangelista (Cherinho) (PTC), o TRE-MG ter acatado o recurso prova que não houve irregularidade na campanha do prefeito e do vice. Sobre o resultado unânime na Corte Eleitoral, o vereador brincou: “em ritmo de copa do mundo, 6 a 0”. Geraldo Luís Andrade (Geraldão) (PTB) desejou sucesso ao Executivo, e pediu atenção às falas do Legislativo sobre as mudanças nas pastas, “para que possamos trabalhar, enquanto Poder Público, pelo viçosense”.

O Presidente da Câmara, Vereador Carlitos Alves dos Santos (Meio Kilo) (PSDB), voltou a pedir redução nos cargos em comissão: “algumas secretarias estão jogando dinheiro fora com má administração. Espero que o prefeito mude um pouco a maneira de administrar”, afirmou.

O Ministério público Eleitoral (MPE), autor da ação de investigação contra Ângelo Chequer e Arnaldo Andrade, ainda pode recorrer da decisão do TRE-MG no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

Texto: Cleomar Marin
Revisão e fotos: Mônica Bernardi

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.