Greve dos profissionais da Educação é discutida na Câmara

por Assessoria de Comunicação publicado 16/03/2016 12h50, última modificação 16/03/2016 14h55
16/03/2016

Os professores da rede pública municipal e estadual estiveram na reunião Ordinária da terça-feira (15), fazendo uma manifestação em relação a  paralisação de três dias aprovada na assembleia do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE). O assunto também foi abordado pela Presidente da Câmara, Vereadora Marilange Santana Pinto Coelho Ferreira (PV), pelo 2° Secretário da Mesa Diretora e líder do Executivo na Casa, Vereador Luis Eduardo Figueiredo Salgado (Cebolinha) (PDT), e pelo Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia, Vereador Idelmino Ronivon (Professor Idelmino) (PCdoB).

A Presidente da Câmara abriu a reunião saudando a categoria e informando sobre a assembleia que irá acontecer na quinta-feira (17), no auditório do Instituto Municipal de Assistência aos Servidores (IMAS). Neste momento a Presidente solicitou também um minuto de silencio pelo falecimento do Professor Romualdo Saraiva de Lima, ex-coordenador geral do Sind-UTE.

Uma correspondência enviada pelo Sind-UTE foi lida em plenário. O Sindicato informou que a assembleia tem como objetivo apresentar à categoria as propostas feitas pelo Executivo, podendo estas serem rejeitas ou aprovadas.

O Vereador Idelmino se manifestou sobre o assunto. Ele reforçou que “os pontos centrais das reivindicações estão relacionados à carreira e a salário, informando que a categoria solicita o reajuste de acordo com o piso”.

Em sua ocupação de tribuna, o Vereador Luis Eduardo falou sobre uma reunião que aconteceu no gabinete do Prefeito Ângelo Chequer, que contou com a presença também da Presidente da Casa, de membros do Executivo e também representantes do Sindicato. “Na ocasião foi discutida a questão do reajuste salarial de acordo com o piso da categoria. A lei não permite que a categoria receba menos que o seu piso, e a proposta está cumprindo esta determinação”.

De acordo com a Presidente da Câmara, a recomposição salarial de 11,36%, conforme solicitado pelo Sindicato, está em consonância com o reajuste do piso nacional dos professores. Além disso, na reunião do Gabinete foram debatidos outros pontos da pauta de reivindicação, como por exemplo o parcelamento de salários, terceirização e cumprimento da lei do Piso.

Em sua fala na reunião Ordinária, a Vereadora Marilange se colocou como companheira, por ser servidora da rede municipal. “Nossas discussões junto ao sindicato vêm acontecendo a mais tempo. Na semana passada eu, como Presidente da Casa, solicitei duas reuniões para discutir o assunto, sendo uma apenas com a o Comissão de Finanças e outra com todos os Vereadores, buscando sempre o diálogo com o Sind-UTE. A Casa Legislativa segue cobrando e acompanhando de perto esta questão”

Texto e Foto: Anna Gabriela Motta

error while rendering plone.comments