Vereador propõe discussão sobre receitas médicas

por Assessoria de Comunicação publicado 18/04/2016 15h55, última modificação 18/04/2016 15h55
18/04/2016

 O Vereador Paulo Roberto Cabral (Paulinho Brasília) (PTC), Presidente da Comissão de Abastecimento, Indústria, Comércio e Defesa do Consumidor, têm recebido reclamações de cidadãos em seu gabinete em relação à caligrafia dos médicos nas receitas. O Vereador irá propor um projeto de lei para que as receitas sejam digitadas, buscando facilitar o entendimento da prescrição.

De acordo com Paulinho Brasília, algumas pessoas estão tendo dificuldades para adquirir seus medicamentos. “Os relatos são os mesmo: as farmácias e drogarias estão com dificuldades de entenderem o que o médico está prescrevendo. Em um dos relatos a pessoa contou que foi até três estabelecimentos e que nenhum dos atendentes compreendeu o pedido”. Como exemplo de medicamentos vendidos equivocadamente, o Vereador citou o PLASIL, medicamento indicado para náuseas e vômitos, e o FLAGYL, medicamento indicado para infecções e outros problemas.

A proposta de criar a lei é para que os consultórios passem a digitar as receitas, e não mais a façam à manualmente. O Vereador fez um estudo procurando cidades que já possuem essa legislação. Uma delas é Fernandópolis, Município do interior de São Paulo. “Troquei várias informações com o Vereador Rogério Pereira Chamel, autor do projeto de lei sobre o assunto em Fernandópolis, e adaptei o projeto à nossa realidade viçosense”.

O projeto de lei foi encaminhado ao Departamento Jurídico da Casa Legislativa e, após isso, será discutido na Comissão de Constituição, Justiça e Redação e na Comissão de Saúde e Assistência Social. O projeto deverá entrar em pauta ainda nas próximas semanas.

Texto e foto: Anna Gabriela Motta

error while rendering plone.comments