Vereadores recebem denúncia de servidor na Tribuna Livre

por Assessoria de Comunicação publicado 20/04/2016 14h10, última modificação 20/04/2016 14h11

O Servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Viçosa (SAAE), Antônio Marcos Pereira, usou a Tribuna durante a reunião Ordinária da terça-feira (19), para relatar os problemas que tem vivido após um afastamento por motivo de saúde. Ele está solicitando sua aposentadoria ao Instituto de Previdência Municipal dos Servidores Públicos do Município de Viçosa (IPREVI), mas não obtém sucesso no pedido.

Antônio foi diagnosticado com uma doença autoimune e está impossibilitado de trabalhar. Ele entrou com o pedido de aposentadoria ao IPREVI e, segundo ele, no dia da perícia foi chamado e disseram que ele não fazia mais parte da folha de pagamento do Plano Assistencial. Além disso, o SAAE enviou uma carta solicitando que o servidor se apresentasse ao trabalho, mesmo debilitado.

Em seu momento de fala na Tribuna, Antônio declarou: “Eu gostaria de trabalhar, gostaria de estar lá, mas não tenho condições, antes eu fazia tudo, hoje não posso fazer nada.”, lamentou. Ele relatou que a sua saúde não está boa e que faz uso de muitos medicamentos caros, e que agora, além de ter que trocar de tratamento, ele terá que usar medicamentos ainda mais caros.

A Presidente da Câmara, Vereadora Marilange Santana Pinto Coelho Ferreira (PV) encaminhou que a Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Justiça, presidida pelo Vereador Luis Eduardo Figueiredo Salgado (Cebolinha) (PRTB) e a Comissão de Saúde e Assistência Social, presidida pelo Vereador Sérgio Norfino Pinto (Dr Sérgio) (PSDB) analisem a situação do cidadão. Ela ainda solicitou que o Presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, Vereador Marcos Nunes (PT), acompanhe de perto e levante essa discussão na Comissão que ele preside. Segundo Marilange: “Não podemos deixar um cidadão desamparado em uma situação como essa.”.

O Servidor finalizou pedindo ajuda da Casa Legislativa para resolver a sua situação: “Eu vim aqui pedir ajuda para poder exercer os meus direitos, como é que o IPREVI me afasta e pede que eu vá para a justiça?! Agora estou sem dinheiro por conta do tratamento e ainda pagando advogado, como vocês podem me ajudar?!”, concluiu Antônio.

 

Texto: Lidiany Duarte
Foto: Anna Gabriela Motta
Revisão: Mônica Bernardi

error while rendering plone.comments