Encontro discute a situação atual do negro

por Assessoria de Comunicação publicado 16/05/2016 16h25, última modificação 16/05/2016 17h31
16/05/2016

A Prefeitura de Viçosa, a Câmara Municipal e a ONG Atitude Afirmativa realizaram na sexta-feira (13) o encontro “Viçosa na estrada pela cidadania”, no Plenário da Casa Legislativa, para discutir a realidade atual do negro na sociedade. O evento contou com grande participação popular e teve ainda apresentações culturais na Praça Silviano Brandão.

Para compor a Mesa Diretiva, foram convidados: o Prefeito Ângelo Chequer, a Presidente da Câmara, Vereadora Marilange Santana Pinto Coelho Ferreira (PV), o Vereador Geraldo Luis Andrade (Geraldão) (PTB), o Vereador Paulo Roberto Cabral (Paulinho Brasília) (PTC), a Secretária Municipal de Cultura, Patrimônio Histórico e Esportes, Cíntia Fontes Ferraz, o Presidente da ONG Atitude Afirmativa, Juvenal Araújo, e o Historiador e Professor José do Carmo. O Vereador Geraldo Deusdedit Cardoso (Geraldinho Violeira) (PSDC) também esteve presente no evento.

A Presidente, Vereadora Marilange, falou da satisfação da Casa em ser parceira deste evento. “A questão está sempre em destaque no Poder Legislativo, e os Vereadores aqui representados carregam esta bandeira. E este evento é um importante espaço de reflexão, enquanto cidadãos e agentes públicos. Com as discussões aqui levantadas poderemos sair com um entendimento da atual realidade dos negros na sociedade, buscando sempre possíveis melhorias para esta população”.

Em sua fala o Prefeito também chamou para a reflexão. “Infelizmente a população negra teve uma chegada trágica no Brasil, e, para mim, ainda existe uma dívida. Devemos discutir e pensar em formas de construir um país melhor e igual para todos. Não podemos admitir que os negros estejam fora desta discussão”. Ângelo também comentou sobre o interesse de que seja criada uma coordenadoria voltada para esta discussão.

O Historiador José do Carmo, autor do livro “Sociedade e Raça: África e os Povos Bantos”, fez uma contextualização histórica das origens da cultura africana. “Muitas pessoas acham que os africanos são todos iguais, mas na verdade existem muitas etnias, muitos povos. A sociedade precisa começar a entender o que é a África e o que é o povo negro”. Ele reforçou que o Brasil tem a segunda maior população negra do mundo, estando atrás apenas da Nigéria. “Ainda assim existem situações criadas para encobrir racismo. Somos tratados como minoria. Na realidade, a todo o momento tenta-se desconstruir tudo aquilo que o negro contribui para este país.”

O Presidente da ONG Atitude Afirmativa, iniciou sua palestra com dados do Mapa da Violência no Brasil, que, segundo ele, é um dos dados mais utilizados por quem trabalha com igualdade racial. “Em 2001 foram assassinados 19.735 pessoas brancas. No mesmo ano foram assassinadas 28.015 pessoas negras. Já em 2011, foram 14.435 pessoas brancas assassinadas, enquanto que 37.549 negros foram assassinados neste mesmo ano”. Ele também abordou a questão dos padrões de beleza, dizendo que “o negro, mesmo sendo a maioria da população brasileira, não é o padrão de beleza. Desde cedo nossas crianças aprendem que cabelo crespo é cabelo ruim. A cor da pele ainda faz diferença no Brasil”.  Ao fim de sua fala, Juvenal propôs três medidas que, segundo ele, “seriam de grande importância para alcançar avanços: a discussão permanente do tema, a criação de uma frente parlamentar de promoção da igualdade racial e a criação do Conselho Municipal de promoção da igualdade racial”.

Após as duas palestras, a palavra foi aberta para a participação popular. Para encerrar o evento a Presidente da Câmara solicitou que o grupo de congado do Município de Presidente Bernardes fizesse uma saudação. Desta forma os presentes se dirigiram à Praça Silviano Brandão, onde foram realizadas apresentações culturais. Participaram, além do grupo de congado, os grupos Perifonia e Brassamba.

Texto e fotos: Anna Gabriela Motta 

error while rendering plone.comments