Transporte público é discutido na Tribuna Livre

por Assessoria de Comunicação publicado 03/04/2019 11h15, última modificação 03/04/2019 14h45

As condições do transporte público no Município foram assunto da Tribuna Livre na reunião Ordinária da terça-feira (02). Júlio Diniz, membro do Blog Política com P Maiúsculo manifestou descontentamento com a qualidade dos serviços oferecidos e o reajuste de 10% no valor da tarifa praticada. Enquanto Virgílio Ferreira Milagres motorista da Viação União demonstrou indignação com as críticas sofridas pelos motoristas da empresa.

Para Júlio Diniz a empresa de transporte coletivo não respeita os usuários, inclusive com relação às questões contratuais citando a necessidade da criação de um Conselho dos Usuários de Transporte Público Coletivo de Viçosa, atitude já cobrada por ele durante reunião realizada pela Vereadora Brenda Santunioni (Progressistas) no final do ano passado “a Vereadora Brenda pegou essa demanda em uma reunião do ano passado, pois acredito que a opinião de quem anda de ônibus é fundamental nessa questão”, afirmou. Júlio também questionou o Vereador Arlindo Carneiro (Montanha) (PSDB), Presidente da Comissão de Trânsito e Mobilidade Urbana sobre sua participação no reajuste enquanto membro da Comissão Municipal de Trânsito e Transporte.

De acordo com o Vereador Montanha as alterações não dependem dele, sendo realizadas discussões com base em dados fornecidos pela empresa “eu não tenho poder para decidir nada sozinho, temos uma comissão que recebe e analisa as planilhas apresentadas a nós”, disse. Vale ressaltar que o reajuste inicialmente proposto pela empresa alteraria o valor das passagens para R$ 3,15, sendo vetado pela Comissão que aprovou o preço da tarifa em R$ 2,75.

Já Virgílio questionou os ataques sofridos por funcionários da empresa, em sua maioria na internet, principalmente direcionados a motoristas com relação ao trabalho realizado pelos mesmos “dizem que somos mal treinados, mas temos reuniões todos os meses, então gostaríamos de mais apoio e menos ofensas”, afirmou.

Ainda durante a reunião outros parlamentares trataram do tema. Para o Vice-Presidente da Casa, Vereador Sávio José (PT) o diálogo entre empresa, Executivo e usuários seria um grande facilitador da relação entre os envolvidos “uma maior participação popular no processo de escolha da empresa, bem como interação dos usuários com os profissionais que construíram o Plano Municipal de Mobilidade Urbana com certeza traria melhorias, pois seria possível ouvir argumentos e questionamentos de ambos os lados”, disse. Já a Vereadora Brenda chamou atenção para a causa dos funcionários ofendidos em redes sociais “sei da necessidade de melhorias, a criação do Conselho de Usuários vai para a Comissão de Constituição e Justiça na semana que vem, mas acredito que no momento temos uma boa equipe nos atendendo”, afirmou. O Vereador Carlitos Alves (Meio Kilo) (PSDB) reforçou a fala da parlamentar, citando a necessidade de melhorias mas ressaltando o respeito devido aos trabalhadores “já trabalhei como trocador de ônibus e sei das dificuldades, é claro que precisamos de melhorias, mas sem ofendê-los”, frisou.

O Vereador Edenilson Oliveira (MDB) retomou a fala do Vereador Sávio, reafirmando a urgência na abertura do diálogo entre as partes “sinto falta de uma comissão mais aberta para discutir com todos nós a questão do transporte público, pois existem muitas melhorias a fazer, entendo a postura do Júlio e do Virgílio, cada um defendendo sua classe, mas ressalto que a manutenção do respeito é fundamental em qualquer relação”, disse. Já o Presidente da Casa, o Vereador Antônio Elias Cardoso (PTB) demonstrou satisfação com o debate que desde o ano passado se intensificou na Casa, com diversas reuniões realizadas pela Vereadora Brenda Santunioni envolvendo sociedade civil e representantes da viação União, salientando no entanto o papel da Casa Legislativa “no ano passado tivemos diversas reuniões para tratar do tema, Audiência Pública e percebemos de forma ainda mais clara que a necessidade de melhorias é consenso entre os usuários. Gostaria apenas de informar que a Câmara tem poder apenas para promover o diálogo, e isso estamos fazendo, mas que a definição da concessão do serviço parte do Executivo Municipal”, concluiu.

 

 

Texto e foto: Igor Gama

Revisão: Mônica Bernardi

error while rendering plone.comments