Projeto de recuperação do Parque do Cristo é apresentado aos Vereadores

por Assessoria de Comunicação publicado 09/10/2019 14h50, última modificação 10/10/2019 14h11

A convite do Vereador Geraldo Luís Andrade (Geraldão) (PTB), por intermédio do Requerimento nº 050/2019, a Câmara Municipal recebeu, na reunião Ordinária da terça-feira (08), a Professora do Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Angeline Martini, acompanhada pela Engenheira Ambiental, Jéssica Ferreira, que apresentou aos parlamentares uma proposta de Recuperação Ambiental para o Parque do Cristo.

Ao justificar o convite, o Vereador Geraldão relembrou outras ações realizadas para recuperação do local “a ativação do Parque do Cristo é uma luta histórica. Algumas intervenções foram feitas pelo Poder Executivo, mas a falta de estimulo para que o local seja frequentado fez com que o mesmo fosse alvo de furto e vandalismo”, disse. Geraldão ainda falou sobre a reunião com moradores que aconteceu em agosto deste ano com o objetivo de identificar representantes que irão compor o Conselho do Parque do Cristo com o objetivo de realizar o Plano de Manejo “discutimos as próximas etapas de reestruturação do local e definimos os representantes. O Plano de Manejo está a caminho, mas é muito importante reunirmos antes conhecimentos técnicos e pesquisas já desenvolvidas sobre o que pode ser implementado no Parque”, explicou.

A professora, que é atuante nas áreas de conservação da natureza, paisagismo e arborização urbana agradeceu a oportunidade de representar o departamento “sinto falta de áreas verdes em Viçosa, e essa foi uma das razões que nos levaram à realização do trabalho, apresentado na conclusão do curso de Engenharia Ambiental da ex-aluna Jéssica, juntamente com outras colegas”, explicou. Jéssica apresentou propostas que buscam promover a recuperação do Parque e, simultaneamente, proporcionar o convívio social e a recreação da comunidade “após realizarmos o diagnóstico ambiental, fizemos questionários presenciais com a comunidade do entorno do Parque e a todo o Município de forma online. As principais insatisfações apresentadas foram a falta de arborização e sujeira, falta de segurança e de manutenção das estruturas”, contou.

Dessa forma, de acordo com Jéssica, o trabalho mapeou espaços e estruturas que não interferem na vegetação já presente “a nossa proposta conta com três áreas de lazer, áreas vegetais com árvores de grande porte e vegetação rasteira, pensadas estrategicamente de acordo com as características de cada espaço. Além disso, foram planejados três portões que dão acesso a três trilhas, com o objetivo de atender a todos os públicos. Também foram planejados banheiros, bebedouros, bancos, escadas, espaços para crianças, jardins, centro de visitação e estacionamento”, disse.

O Vereador Arlindo Carneiro (Montanha) (PSDB) resgatou algumas memórias do Parque parabenizando as presentes pela iniciativa “o Parque fez parte da minha vida, assim como de muitos cidadãos desse Município. Esse projeto tem todo o meu apoio”, disse. O Vereador Idelmino Ronivon (Professor Idelmino) (PCdoB) questionou a forma de aplicação de recursos financeiros na execução do projeto, visto que o Município se encontra em dificuldades, sendo endossado pelo Vereador Sávio José (PT) que perguntou sobre a existência de estudo de custo do projeto completo. A Professora Angeline esclareceu que, para a execução, as áreas prioritárias seriam as áreas próximas do Cristo e da Santa "essas são regiões de lazer, que as pessoas poderiam começar a utilizar. Sobre os investimentos, hoje a área ambiental recebe muitos recursos de compensação ambiental", afirmou.

A Vereadora Brenda Santunioni (Progressistas)  parabenizou a apresentação "agradecemos pelo trabalho desenvolvido, é muito importante que  outras regiões do Município sejam analisadas com esse propósito de ressignificação para uso da população", disse. O Vereador Geraldão levantou a possibilidade da prática esportiva no local “as trilhas propostas poderiam ser usadas para esportes radicais?", perguntou. Angeline esclareceu "o projeto não foi pensado com essa finalidade, pois foi realizado com base nas demandas da população. No entanto, pode ser adaptado para esse propósito, desde que seja uma demanda", concluiu.

 

Texto: Isabela Monteiro
Revisão e foto: Mônica Bernardi

error while rendering plone.comments