Vereadores comentam sobre ação de policial militar

por Assessoria de Comunicação publicado 11/03/2020 18h05, última modificação 12/03/2020 14h42

O Cabo da Polícia Militar, Carlos José de Oliveira Borges, da 10ª Companhia de Polícia Militar Independente, que atenderia ao convite da Câmara, via o Requerimento nº 006/2020, de autoria dos vereadores Brenda Santunioni (Progressistas) e Ronildo Ferreira (DJ Ronny) (PSC), para participar da reunião Ordinária da terça-feira (10) e esclarecer quanto a sua abordagem para com o cidadão Ademir Martins Liberato, não compareceu tendo por justificativa, apresentada pela Companhia por intermédio do Ofício nº 79.1/2020, estar prestando o Curso Especial de Formação de Sargentos (CEPS) em Juiz de Fora na mesma data.

O Cabo Carlos foi convidado para a reunião afim de esclarecer aos parlamentares o fato ocorrido na abordagem do dia 20 de fevereiro para com o cidadão Ademir Martins Liberato, que foi muito questionada pela população e passível de diversas interpretações. Segundo a nota enviada à imprensa, pela Polícia Militar da 10ª Companhia Independente e assinada pelo Tenente Coronel PM Marcelo Monteiro de Castro, o cidadão foi preso em flagrante pelo crime de ameaça, tendo como agravante o seu comportamento resistente passivo, questionando a ação policial e negando-se a cooperar com a situação.

Entretanto, de acordo com a Vereadora Brenda, Presidente da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania, Prevenção e Segurança Pública, após analisar as imagens captadas pelo sistema de segurança ‘Olho Vivo’, não houve razão para a abordagem efetuada pelo policial, “não vi justificativa alguma para remediar a situação daquele jeito. Pelo vídeo podemos ver claramente que o Ademir não gesticula de forma prepotente ou provocativa, ele apenas pede para a população ver a situação que está acontecendo com ele”, indagou. No mais, esclareceu que a Casa Legislativa fez a sua parte e tentou ouvir os dois lados, “não somos juízes, somos o Legislativo, nossa função é fiscalizar e apurar. Fomos lá ouvir o Cabo Borges e ele não estava, tentamos convocar ele e recebemos um ofício de que ele não virá, assim fica muito difícil trazermos todos os lados para a comunidade”, disse.

O Vereador DJ Ronny acrescentou à fala de sua colega parlamentar o pedido para que a Casa Legislativa convide novamente o oficial e aclamou aos seus pares, “peço que os 15 vereadores assinem o Requerimento para que possamos lutar por esse direito de nossa população e caso o Cabo apresente a sua versão sincera e honesta, faremos o mesmo Requerimento para o Ademir vir dar a sua justificativa, pois é assim que devemos agir”, finalizou.

O Vereador Antônio Elias (PTB), Presidente da Câmara Municipal de Viçosa, cumprimentou os esforços dos vereadores em buscar essa resposta e atender ao direito da população de ouvir os dois lados da situação e deu por encerrado o papel do Legislativo atestando que “a Casa Legislativa de Viçosa levará todos os documentos desse processo, como o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), o vídeo capturado e tudo envolvido, para a Corregedoria na Cidade Administrativa e irá acompanhar todas as etapas que serão demandadas pelo Poder Judiciário”, salientou.

 

Texto e montagem: Thiago Fernandes

Revisão e foto: Mônica Bernardi

error while rendering plone.comments