Vereadores debatem Educação no período de Pandemia

por Assessoria de Comunicação publicado 13/05/2020 10h30, última modificação 13/05/2020 12h10

O Vereador Sávio José (PT), Vice-Presidente da Casa Legislativa, apresentou durante a reunião Ordinária da terça-feira (12), a Moção de Repúdio nº 007/2020 destinada ao Ministério da Educação (MEC) e ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (INEP) pelo não adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM 2020). Além da assinatura do vereador, autor da iniciativa, a moção contou com a assinatura dos vereadores Idelmino Ronivon (Professor Idelmino) (PCdoB), Helder Evangelista (Cherinho) (PSL), Edenilson Oliveira (PSD), Wallace Calderano (PSC) e Antônio Elias Cardoso (PODE), Presidente da Casa. A educação também foi tema de discussão abordado pelos vereadores Professor Idelmino e Geraldo Luís Andrade (Geraldão) (AVANTE) (montagem).

Em virtude da paralisação das instituições de ensino por conta do Pandemia do Coronavírus (COVID-19) e como meio de contingência da perpetuação do mesmo, o Vereador Sávio mostrou-se inconformado com a atitude do Governo Federal de não adiar o ENEM 2020, visto que não são todos os estudantes que podem ou têm condição de manter os estudos em casa. “Todos os jovens do nosso País têm a mesma condição socioeconômica para ter acesso à informação de casa? Todos que têm computador, têm acesso à internet? Os senhores conhecem alguma escola estadual que está tendo aula online? O mínimo desse Governo Federal é considerar que nós não estamos num ambiente normal, muito menos favorável a todos”, indagou.

O parlamentar ainda enfatizou a necessidade de lutar pelo ENEM em caráter de solidariedade e criticou a decisão do MEC destacando que “estamos passando por um momento estressante, delicado. O ENEM já causa muita ansiedade e autocobrança em nossos estudantes. Muitos têm suas vidas definidas nesse vestibular. É nossa obrigação proporcionar, no mínimo, com condições iguais de competição, pois sabemos muito bem que nosso País sofre com a desigualdade e essa medida só reforça isso”, salientou.

O Vereador Professor Idelmino (PCdoB) ainda acrescentou à discussão a falta de atenção do governo em alocar o ENEM Digital, medida inédita desse ano do MEC. “Fora esse problema lastimável que nossos estudantes estão vivenciando, temos o agravante do ENEM Digital, que ainda coincidiu com a data de dois vestibulares de nível nacional, o da Universidade de São Paulo (USP) e o da Unicamp. A data desse ENEM precisará ser revista também”, pontuou. Além do mais, o parlamentar retornou com a pauta do Decreto 5459/2020, de autoria do Prefeito Municipal, Ângelo Chequer (PSDB), na qual reduzia o salário dos trabalhadores, que já havia trazido na reunião Ordinária da semana anterior (05/11). "Ontem, nosso prefeito, fez um novo decreto, revogando o Decreto 5459, mas que mantem o corte de salário, os adicionais e os incentivos dos docentes. Isso foi uma rasteira jurídica no Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SIND-UTE/MG), que tinha realizado a luta por esse direito com relação ao decreto revogado e que agora terá complicações na justiça para continuar com o processo", explanou.

Por fim, voltando para o âmbito municipal, em específico as instituições de ensino de Viçosa, o Vereador Geraldão solicitou, por intermédio do Requerimento nº 015/2020, a presença da Secretária Municipal de Educação, Ana Louricelia Chagas, para participar da reunião Ordinária, que acontecerá no dia 19 de maio de 2020, a fim de explicar e apresentar possíveis estratégias que podem ser adotadas para com a educação neste atual cenário de combate ao COVID-19 com o objetivo de zelar pelos profissionais, bem como pelos estudantes.


Texto: Thiago Fernandes

Revisão e foto: Mônica Bernardi

error while rendering plone.comments